Silvana Sá

silvana@adufrj.org.br

A campanha Conhecimento Sem Cortes conseguiu ultrapassar a meta inicial de 20 mil assinaturas na petição que solicita recursos para a educação, ciência e tecnologia. Em apenas um mês, até o fechamento desta edição, já são mais de 26 mil adesões. O novo objetivo é conseguir 30 mil apoiadores. O documento será entregue entre setembro e outubro, na Câmara dos Deputados, e está disponível no site www.conhecimentosemcortes.org.br.

Rio de Janeiro e Minas Gerais lideram as participações. Mas todos os estados brasileiros marcam presença. Além disso, a campanha conta com adesões em outros 11 países. No cadastro do site, os campos de localização não são obrigatórios, o que levou muitas pessoas a não prestarem as informações de forma completa.

Carlos Frederico Rocha, vice-presidente da Adufrj — uma das entidades organizadoras do Conhecimento Sem Cortes —, comemora os números. Para ele, é uma demonstração de que a iniciativa foi amplamente abraçada. Em sua avaliação, o sucesso da empreitada se deu pela clareza do pleito. “Temas específicos de interesse geral são mais bem recebidos pela população do que pautas muito extensas. Tocamos no interesse direto das pessoas”, disse.

A parceria com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, para o dirigente, foi fundamental para nacionalizar a ação. “Com certeza, o apoio da SBPC e a nossa participação na reunião anual da sociedade deu mais visibilidade à campanha”, disse. A presidente da Adufrj, Tatiana Roque, compareceu ao evento, participou de debate sobre o tema e divulgou a campanha à imprensa. Outro fator que contribui para a crescente adesão, segundo Carlos Frederico, é o Tesourômetro. “É uma forma de a sociedade visualizar o que estamos dizendo. Os números são muito expressivos”, afirmou.

Dois tesourômetros foram instalados no país. O primeiro está na UFRJ, no campus Praia Vermelha. O segundo, na UFMG. O painel eletrônico contabiliza perdas em educação, ciência e tecnologia desde 2015. Até agora, já foram cortados mais de R$ 11,5 bilhões das áreas.

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)