Foto: Fernando Souza

Elisa Monteiro

elisamonteiro@adufrj.org.br

“São cerca de 400 médicos em regime de 60 horas que deixariam de atender a população em um momento de grave crise na rede pública de saúde”, destacou o diretor da Faculdade de Medicina, Roberto Medronho, sobre a ameaça de suspensão dos programas de residência do HU. “É claro que há problemas de estrutura e pessoal no hospital, mas jamais algo que justifique o fim da residência”, avaliou Medronho.

O Hospital tem 372 residentes e realiza 818 atendimentos ambulatoriais por dia. Na próxima semana, está prevista a chegada de uma máquina de ressonância magnética para instalação e funcionamento em até 60 dias. O aparelho é de uso compartilhado para todos os setores. No mesmo prazo, começa a operar um novo tomógrafo.

O Ministério da Educação, principal financiador dos hospitais universitários, não assumiu a responsabilidade pela crise do Clementino Fraga Filho. No dia 5, em nota, o MEC informou que repassou toda a verba de custeio da UFRJ prevista no orçamento de 2017 e que coube à reitoria a aplicação dos recursos. Além do custeio, o MEC paga os servidores e participa do programa de reestruturação dos hospitais (Rehuf). O Ministério da Saúde remunera os hospitais pela prestação de serviços ao Sistema Único de Saúde e também integra o Rehuf. A UFRJ reclama que há subfinanciamento.

Pressão
O relatório da Comissão Nacional de Residência indignou instituições e sociedades científicas. A Fiocruz criticou a medida. A Academia Nacional de Medicina e a Academia Brasileira de Ciências escreveram nota conjunta. “A História e, em especial, a população não perdoarão uma grave omissão como essa”, alertaram. As sociedades científicas também destacaram o papel da UFRJ, “responsável pela formação de parcela significativa dos grandes médicos e pesquisadores brasileiros”.

Leia também:
Comissão do MEC recua e mantém residências médicas no HU
Hospital contestou diagnóstico de “situação pré-falimentar”
Nota da diretoria da Adufrj sobre avaliação da residência médica

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)