Kelvin Melo

kelvin@adufrj.org.br

O mapa de apuração da eleição para a diretoria da Adufrj mostra que a chapa 1, Universidade para a Democracia, venceu em quase todas as localidades: a aprovação dos professores aos candidatos apoiados pela situação foi consolidada nas seções eleitorais em que a atual direção havia sido vencedora há dois anos. Além disso, houve ampliação da base de apoio com outras urnas.

Vale destacar o deslocamento de votos para a chapa vitoriosa em dois locais. No Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, em 2015, a oposição havia feito o dobro de votos; em 2017, a chapa 1 fez 35 votos a mais, 45 contra 10. No somatório das urnas da Praia Vermelha, outra inversão. A Universidade para a Democracia venceu (118 contra 114) no campus onde havia sido derrotada há dois anos (123 a 158).

A chapa 1 venceu, ainda, na Música, na Faculdade de Letras, no Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira, no Hospital Universitário e no prédio da reitoria, onde votaram professores da Escola de Belas Artes, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) e do Instituto de Pós-graduação e Pesquisa em Administração (COPPEAD). Estas foram seções eleitorais dominadas pela chapa Adufrj-SSind de Luta e pela Base, em 2015. A chapa 2 ganhou nas urnas da Praia Vermelha 2, Praia Vermelha 3, Direito, da Escola de Enfermagem, da Educação Física, do Colégio de Aplicação e de Macaé 1 (Polo Universitário).

Ao comparar os resultados da eleição deste ano com a de 2015, é possível apontar um aumento na diferença de votos entre a chapa 1 e o grupo, hoje, na oposição. Em 2015, a chapa Adufrj Democrática e Participativa ganhou a direção do sindicato com 883 votos contra 594 da chapa Adufrj-SSind de Luta e Pela Base. Neste ano, a chapa apoiada pela situação manteve a diretoria com 816 contra 469. Foi um crescimento de 20% na diferença entre as chapas.

Eleição do Conselho

O Conselho de Representantes também foi renovado para o biênio 2017-2019. São 53 representantes titulares e 34 suplentes de 26 unidades, além dos campi de Macaé e Xerém. Os números da votação e os nomes eleitos podem ser conferidos em https://goo.gl/ERoU93.

OPINIÃO

Tatiana Roque
Presidente da Adufrj

Foi uma vitória substantiva! A chapa 1 foi eleita com uma diferença maior do que a da nossa eleição em 2015. Sinal de que os professores e as professoras da UFRJ aprovaram o que fizemos nos últimos dois anos. Sem prejuízo da participação nos eventos convocados pelo sindicato nacional, aos quais sempre aderimos, apostamos na multiplicação das formas de ação contra as ameaças à universidade pública e os cortes de verbas para a pesquisa. Um dos pontos mais estratégicos é trazer a sociedade para o nosso lado. A vitória da chapa apoiada pela atual direção demonstra a preferência por um sindicato plural, com abertura para o contraditório, inovador nas formas de mobilização, que amplia as alianças e estimula a participação nas decisões. Foi recusada uma proposta vanguardista, que acha que o papel de uma direção sindical é guiar as bases. O papel da Adufrj deve ser estimular um debate aberto e democrático. É fundamental que uma mobilização de professores universitários possa incorporar também o que há de específico em nosso trabalho – que é um trabalho de pensamento e de produção de conhecimento.

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)