Redação Adufrj

adufrj@gmail.com

O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) enviado pelo governo Temer ao Congresso na última quinta-feira prevê uma redução de mais de 50% nos investimentos federais destinados à Ciência, Tecnologia e Inovação.

Pesquisas importantes para a sociedade, como o novo acelerador de partículas Sirius e o Reator Multipropósito Brasileiro, destinado à pesquisa e fabricação de radiofármacos, foram completamente excluídos do orçamento.

Com risco de forte impacto na comunidade acadêmica, os números são dramáticos. Pelo projeto, o orçamento total do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) cai de R$ 15,6 bilhões para R$ 11,3 bilhões. Já os recursos destinados a investimentos despencariam de R$ 6,2 bilhões para R$ 2,7 bilhões — uma redução de 56%. Isso inclui todos os recursos para financiamento de pesquisas e pagamentos de bolsas do CNPq, por exemplo.

A proposta da PLOA é baseada numa previsão de rombo nas contas públicas de R$ 129 bilhões, que o governo espera elevar para R$ 159 bilhões. A votação do aumento de déficit deve ocorrer essa semana e pode alterar os números iniciais, reduzindo um pouco os danos sobre a C&T. “As péssimas previsões foram confirmadas e até pioradas”, lamenta o presidente da SBPC, professor Ildeu Moreira. “O impacto na Capes será terrível, com cortes profundos de bolsas”, completa.

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)