Elisa Monteiro

elisamonteiro@adufrj.org.br

Fotos: Divulgação

O campo da Educação Física na Praia Vermelha recebe amanhã (12), a partir das 17h, o espetáculo “Diversos são Quixote”. É a mais nova obra do projeto de extensão Dança para todos, que congrega alunos, pacientes de saúde mental e pessoas com deficiências.

A trupe de 20 participantes usa a obra clássica de Miguel de Cervantes como fio condutor para discutir questões da atualidade que mexem com o grupo. “É uma releitura”, explica a diretora da peça e professora da Escola de Educação Física e Desportos da UFRJ, Marta Bonimond.  “Usamos notícias de jornal, entre outros materiais sobre a realidade atual”.

O tema da inclusão a partir da universidade tem destaque. “O ápice do espetáculo é a passagem do duelo com os moinhos de vento, representados pelos bailarinos. Dom Quixote grita: ‘Temos que derrubar os muros que separam a universidade da sociedade’”, conta Marta. “Representa tudo em que acreditamos, que a UFRJ não deve ser excludente”.

A docente avalia que o sucesso do grupo está exatamente na superação das barreiras. “As pessoas dizem que nosso trabalho é inclusivo. Mas a verdade é que apenas não excluímos ninguém”, brinca Marta. Ela defende que “a dança é para todos, inclusive para quem não pode ver ou tem problemas psíquicos”. E completa: “Nessa sociedade excludente, todos que não estão adaptados acabam se sentindo desajustados. Deve ser por isso que as pessoas se sentem acolhidas no grupo”.

Entrada franca

A peça “Diversos são Quixote”, liberada para toda as idades, já foi encenada na Cinelândia e na Vila Residencial. Na Praia Vermelha, os organizadores vão recolher doações para estudantes do alojamento, em dificuldades após o recente incêndio. A entrada é franca.

 

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)