- Adufrj - http://www.adufrj.org.br -

Protesto em frente ao hospital cobra mais segurança

Professores, médicos, estudantes e técnicos do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho realizaram uma manifestação, na manhã do dia 20, reivindicando mais segurança para o local. O protesto ocorreu no dia seguinte a mais um episódio de violência no Fundão: o assalto a dois médicos da unidade, em um dos estacionamentos próximos. Eles foram feitos reféns por vários bandidos armados de fuzis, que roubaram os carros e pertences pessoais. Um vigilante foi rendido durante a ação. As vítimas só foram liberadas fora do campus: uma em comunidade da Maré; outra na avenida Brasil, perto da Linha Amarela.

“Não podemos mais negociar nossa segurança”, afirmou Carlos Almeida, presidente da Associação de Médicos Residentes da UFRJ, que liderou o ato. “Queremos pressionar a direção do hospital e a reitoria para conseguirmos medidas concretas de proteção. Ficamos bastante transtornados com a situação do assalto”, completou.

Os residentes cobram: aumento da segurança no entorno do hospital, instalação de sistema de câmeras e melhoria do sistema de identificação de funcionários e pacientes. “O que temos hoje é muito falho. Muitas pessoas sem crachá acabam transitando no hospital”, disse.  Carlos explicou que nenhuma das pautas é novidade. “Já vínhamos dialogando com a direção do HU e com a reitoria, mas sempre temos a mesma resposta, de dificuldades orçamentárias”, reclamou.

Ainda na campanha por mais segurança, a associação colheu nomes para um abaixo-assinado da comunidade do hospital. O documento será entregue à direção. Os residentes também indicaram uma paralisação para a próxima terça-feira (26).

Pedido de reforço

Em nota, a assessoria do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) disse que enviaria um novo ofício para o Secretário de Estado de Segurança, Antonio Roberto Cesário de Sá, solicitando reforço do policiamento no local, “reiterando pedido de apoio feito em fevereiro deste ano pelos mesmos motivos”.

O HUCFF também fará um convite formal à reitoria, aos representantes da Prefeitura do campus e da Divisão de Segurança da Universidade Federal do Rio de Janeiro para esclarecer à comunidade as providências que estão sendo tomadas para garantir a segurança no entorno da unidade.