WhatsApp Image 2021 03 19 at 17.25.573Bruno Clarkson Mattos
Instituto de Biologia

 

No dia 9 de março de 2020, assinei o contrato para o que seria a minha primeira experiência como docente e, na semana seguinte, as atividades foram paralisadas. Com o avanço da pandemia e a sensação de impotência diante do crescente número de vítimas, assim que a UFRJ anunciou um programa de voluntários para o combate à covid-19, eu aproveitei o vínculo recentemente estabelecido e me cadastrei. Entre abril e julho, trabalhei na força-tarefa de combate à doença, parte no Centro de Triagem e Diagnóstico montado no CCS, parte no Laboratório de Virologia Molecular, fazendo extrações de RNA viral das amostras de swab para os rt-PCRs diagnósticos de Sars-CoV-2.

As atividades foram intensas e me deixaram psicologicamente estafado para estudar e preparar as aulas para o Período Letivo Excepcional, que foi anunciado para começar em agosto. Com o início das aulas remotas se aproximando, seria impossível conciliar as duas atividades e eu me despedi do voluntariado.

Retomei então os estudos para a construção das aulas e o aperfeiçoamento do uso das ferramentas que viabilizaram o ensino e a comunicação com os alunos. Mesmo contando com a ajuda dos colegas que dividem disciplinas comigo, essa retomada foi um período intenso, com a elaboração e a gravação das aulas e com o desenvolvimento das atividades e avaliações que seriam passadas aos alunos nos meses seguintes. Em novembro, a minha participação no PLE se encerrou com a aplicação das avaliações.

Esse primeiro período de ensino a distância foi difícil para todos, mas sinto que foi especialmente desafiador para os alunos. A impressão que  tenho é que muitos ainda não haviam se adequado a essa nova realidade. A maioria não conseguiu acompanhar o cronograma de aulas assíncronas e, de maneira geral, a frequência deles nas aulas síncronas foi muito baixa. Menos de 10% dos inscritos compareciam. Algumas vezes, nenhum aluno apareceu para a aula.

Não vou esconder que fiquei frustrado de ter a minha primeira experiência como professor na UFRJ em um cenário que exige distanciamento dos alunos e ensino remoto. Mesmo assim, para mim é gratificante, em um momento como esse, ter participado de alguma forma do combate à pandemia e da manutenção do ensino em uma das melhores universidades do país.

Topo